pessoal

Tenderness Sessions #2

Esta semana não trago nenhuma publicação sobre moda, viagens ou livros. Parece-me que qualquer um desses temas se torna secundário face ao que se passa no mundo neste momento – e tanto se passa. Infelizmente, ainda não me reconheço a sabedoria suficiente para conversar sobre o que tanto precisa de ser conversado, por isso decidi trazer apenas algumas palavras que escrevi esta manhã – uma calma manhã de domingo, como tanto gosto. Tenho a certeza de que se todos parássemos, de vez em quando, para olhar para dentro – quem somos, como somos, quem queremos ser, como queremos ser -, para escutar aquela voz a que gosto de chamar de essência, algumas guerras seriam apenas paz.

Read more “Tenderness Sessions #2”
pessoal

Tenderness Sessions #1

Tenho muitas saudades de escrever de maneira espontânea, autêntica, sem grandes regras. Tenho a escrita presente no meu dia-a-dia há muitos anos, desde o meu curso em comunicação ao meu estágio na mesma área – e, mesmo depois de começar a trabalhar como assistente de bordo, ainda decidi regressar aos estudos, o que me reaproximou do hábito de escrever. No entanto, não sei bem quando deixei de passar a minha imaginação para o papel. Desde então, sinto que perdi aquela liberdade de transformar palavras em poemas, num bloqueio que perdura há demasiado tempo, muito por causa de uma quanta inflexibilidade que personifico na minha escrita académica e, na altura, profissional. Num certo momento cheguei a participar num workshop de escrita criativa, de que gostei imenso; mas lembro-me de comentar com as meninas que participaram também que depois de um dia a escrever no escritório e de uma noite a escrever um trabalho na faculdade, ficava com pouco para dar a todas as outras ideias na minha cabeça. O blog tornou-se no espaço onde me permito ter asas para desenvolver esse lado mais “artístico”, na falta de palavra melhor, mas não deixava de sentir que ainda não tinha regressado por inteiro. Nestes últimos tempos têm acontecido algumas transformações muito boas por este lado – e uma das melhores foi a que me trouxe, finalmente, de regresso à minha escrita.

Read more “Tenderness Sessions #1”
pessoal

Slow Living – Os Meus Dias

Há umas semanas publiquei algumas ideias sobre slow living, mas não cheguei a partilhar concretamente de que forma abrandei e simplifiquei os meus dias. Para ser sincera, estes tempos que nos obrigaram a permanecer em casa trouxeram-me a oportunidade de fazer uma longa pausa, de que bem precisava há algum tempo. Sinto mesmo que houve um mudança decisiva na minha maneira de estar nestes últimos tempos, que permanecerá muito além do que vier daqui para a frente.

Acredito muito na organização e no planeamento – nos estudos, no trabalho, em casa, em (quase) tudo. Sempre pude contar com esta qualidade, mas confesso que nem sempre descomplicou os meus dias. A minha capacidade em ser organizada anda de mãos dadas com a minha dificuldade em ser realista relativamente a medidas, especialmente a calcular tempos (se bem que também sou um desastre com quilómetros). Esta limitação resultou numa contínua má gestão dos meus dias durante anos – estabelecia cinco ocupações para a manhã, mais cinco para a tarde, e quando chegava a hora de almoço ainda nem duas tinha concluído, arrastando para o decorrer da semana e deixando uma ligeira sensação de fracasso. No entanto, não há mais ninguém que deva responsabilizar pela imposição de metas demasiado exigentes senão eu, o que me leva a uma frase que não me canso de frisar: expectativas irrealistas levam a frustrações que, por sua vez, conduzem a desistências.

Read more “Slow Living – Os Meus Dias”
pessoal

Slow Living

O mundo mudou bastante desde que vos escrevi pela última vez – e, curiosamente, sobre a minha viagem a Nova Iorque, que seria impensável neste momento. De repente, de uma semana para a outra, vimos-nos obrigadas(os) a mudar os nossos hábitos, as nossas rotinas, as nossas vidas. No entanto, não me canso de dizer que, apesar de tudo o que se está a passar, devemos agradecer por simplesmente estarmos bem. Esta pandemia está a ser muito mais intensa para tantas pessoas, desde quem sofre com o vírus a familiares a profissionais na linha da frente. Por isso, nos dias menos fáceis, lembremo-nos da sorte que temos em podermos afirmar que estamos em casa, em segurança, a cuidar de nós. Queria escrever sobre slow living há algum tempo; tenho este tema no meu caderninho de ideias para o blog há meses, mas nunca cheguei a elaborar algo que valesse a pena partilhar. Parece-me agora, mais do que nunca, numa fase em que o mundo se viu obrigado a fazer uma pausa, que faça então sentido partilhar algumas ideias sobre esta forma de viver devagar.

Comecemos pelo princípio: as primeiras recomendações de isolamento social coincidiram com o começo das minhas férias, o que calhou muito bem. Estou em casa há três semanas, como a grande maioria das pessoas. Para minha surpresa, estas férias, em que supostamente andaria de um lado para o outro a conhecer novos destinos no mapa, tornaram-se nas mais relaxantes desde que comecei a trabalhar, por uma simples razão – slow living. Sou-vos sincera: a minha primeira semana de férias foi um autêntico descalabro, em que pouco mais fiz do que sair da cama para o sofá e do sofá para a cama. Por vezes também precisamos de dias assim, não é? Passada essa semana, lá pensei que estava na hora de fazer algo de mais produtivo e, acima de tudo, saudável por mim. A minha mãe começou a trabalhar a partir de casa pela mesma altura, o que me permitiu melhor estabelecer horários e diferenciar dias de semana para o fim-de-semana. Desde então, tenho trabalhado muito nos hábitos diários que estabeleci no início do ano – seria algo interessante de partilhar aqui no blog? – e, pela primeira vez, tenho cumprido com bastante naturalidade e consistência. Porquê? Porque simplifiquei os meus dias.

Read more “Slow Living”
pessoal

Para 2020

Parece-me que, à semelhança do meu resumo de 2019, pode ser tarde para escrever sobre as minhas expectativas para este ano que começou há mais de duas semanas. No entanto, sinto que os meus planos para este recomeço de ano – e de década! – acabaram por ganhar mais forma nas semanas seguintes à passagem de ano em si. Adoro toda a magia de dezembro – especialmente a natalícia – mas confesso que gosto muito também de quando o ambiente acalma e as pessoas regressam às suas rotinas. E 2020 será muito sobre isso – sobre regressar às minhas.

Primeiro, decidi olhar para as minhas resoluções do ano passado para perceber quais as que ficaram por cumprir. Depois, dediquei um tempo para, calmamente, pensar em todas as áreas da minha vida – saúde, família, relações, trabalho, estudos, hobbies. Lembro-me da primeira vez que fiz uma introspeção deste género, num dos verões da casa da minha infância, em que visualizei tudo o que me rodeava – o que tinha de bom, de menos bom, de manter, de melhorar. Desde então, de vez em quando, gosto de me situar no tempo e no espaço, para perceber onde estou e para onde quero ir. Este ano, todo este processo coincidiu com a chegada de 2020. Depois deste bocadinho de mim para mim, comecei então a escrever o que espero dos próximos doze meses.

Read more “Para 2020”