pessoal

Diaries #1 – Vilamoura Diaries

Estou de regresso de Vilamoura e, como prometido no último post, venho contar-vos um pouco sobre os meus dias por lá. Partimos no fim-de-semana passado, para estarmos cerca de uma semana num dos meus lugares preferidos no Algarve. Este verão proporcionou-me dois reencontros bastante importantes para mim: primeiro, um regresso muito emocional à casa de férias dos meus avós, onde passei todos os meus verões desde pequena, da qual guardo muitas das minhas memórias preferidas com a minha família (e sobre a qual ainda hei de ganhar coragem para escrever, um dia) e, depois, um regresso a Vilamoura, onde passei a mesma semana de férias, durante alguns anos, também com os meus avós. Gostei muito de regressar, especialmente por me fazer lembrar do quanto a minha avó gostava dos nossos dias por lá – das caminhadas pela praia de manhã, com alguns jogos da malha pelo meio (que ensinei ao Bryan, ainda na nossa viagem pela Costa Vicentina, e acho que ele secretamente andou a treinar em casa, porque melhorou bastante desde então), dos almoços na varanda com o mar à nossa frente, dos passeios pela marina ao final do dia, das partidas de cartas antes de deitar.

Repliquei muitas dessas memórias nesta viagem, com o Bryan. Fizemos longas caminhadas de manhã pela praia – e, num dos dias, acordámos um pouco mais cedo para ver o amanhecer à beira-mar, o que me inspira sempre imenso -, comprámos pão fresco pela manhã para o nosso pequeno-almoço na varanda (boicotado por gaivotas por duas vezes, my fault!), cozinhámos muitas refeições saudáveis (e outras nem tanto, ao que chamo de equilíbrio!), entretemos-nos com séries e documentários depois de almoço, passámos as tardes na piscina e acabámos os nossos dias a ver o pôr-do-sol na praia ou na marina.

Estes últimos dias em Vilamoura souberam mesmo bem. Estava a precisar de me desligar da cidade (e do telemóvel). Numa das nossas sessões de televisão depois de almoço, acabámos por ver o documentário “The Social Dilemma“, de que tanto se tem falado. Penso que serviu de “despertar” para muitas pessoas; quanto a mim, relembrou-me da importância de viver antes de documentar, em vez de viver para documentar. Sinto que cada vez mais se precisa de partilhar os momentos nas redes sociais para os tornar reais, como se, simplesmente, os viver não fosse suficiente. Para ser sincera, guardo bastante dos meus momentos pessoais e das minhas experiências para mim – não sei quantos lanches, almoços, jantares, caminhadas, corridas, saídas e viagens não partilhei nas redes sociais. No entanto, por causa do blog, sinto que acabo por depositar muita pressão sobre mim mesma em relação à minha presença nas redes, especialmente nesta fase em que tenho tempo e disposição para dedicar a este cantinho, por causa da situação profissional em que me encontro. Penso que não deixo que se transmita para quem me lê, mas acabo por passar demasiado tempo a debater-me sobre este assunto de como equilibrar a presença online espontânea, genuína e autêntica sem sentir necessidade de partilhar cada momento, acabando muitas vezes por cair no excesso. Estou a aprender a, essencialmente, saber estar nas duas formas sem que uma quebre a outra, principalmente sem que a online me faça esquecer de que a realidade está na offline.

Ultimamente, sinto uma imensa vontade de produzir – de escrever, de fotografar, de filmar. Estes dias em Vilamoura fizeram-me perceber umas quantas coisas em relação a esta minha necessidade de documentar, pelo que estou muito curiosa por explorar mais esta vontade. Confesso que adoro esta sensação de reset que algumas viagens me transmitem – e Vilamoura foi bastante generosa neste campo. Não me lembro de uma maneira melhor para passar a minha última semana verão deste ano; senti mesmo um capítulo a fechar-se. De energias renovadas, estou de regresso a Lisboa. Estou muito ansiosa, no melhor dos sentidos, para os próximos meses. Gosto mesmo desta altura do ano – o tempo de outono, os passeios pela cidade com as folhas caídas pelo chão, as sessões de cinema em casa em dias de chuva, as tardes de conversa com as minhas amigas numa pastelaria perto das nossas casas.

Partilhei dois reels no meu instagram e no meu facebook com alguns momentos em Vilamoura. Já conhecem esta zona do Algarve? Parece que o verão está mesmo deixar-nos. Contem-me: o que mais vos entusiasma para os próximos meses de outono? Partilhem comigo na caixa de comentários!

Inês Nobre
Um blog sobre o que mais me apaixona, como melhor me sei expressar - pela moda e pela escrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *