moda

Moda | Wishlist #1

Sempre gostei de ver wishlists – tanto as das minhas bloggers preferidas, como as das revistas de moda. Entretanto caiu em desuso, mas continuo a gostar muito. Por isso, decidi partilhar a minha wishlist de momento. Estive mais de seis meses sem comprar roupa, sapatos, acessórios, o que aconteceu por mero acaso, sem qualquer propósito específico, sem sequer pensar sobre o assunto. As minhas últimas compras foram em novembro, durante a minha viagem a Nova Iorque (como não poderia deixar de ser!). Entretanto não precisei de comprar mais nada, nem para o inverno, que não foi muito rigoroso, nem para a primavera, em que reinaram as roupas de andar por casa. Com a chegada da nova estação – e da liberdade para, aos poucos, regressarmos ao normal – comecei a procurar algumas peças novas para o meu verão.

Quando me apercebi de que não fazia compras há mais de seis meses, pensei que esta seria uma excelente oportunidade para mudar algumas das minhas escolhas em relação a marcas no campo da moda. Há mais de dois anos, partilhei alguns princípios para um consumo consciente e, na altura, confessei que sentia alguma dificuldade em encontrar um equilíbrio entre o meu gosto, o meu poder de compra e as marcas disponíveis que cumprissem o princípio da slow fashion. Sempre soube que descobriria esse equilíbrio – e tenho o maior orgulho em dizer que, finalmente, me encontro numa posição em que deixei de contribuir para o consumo preso às regras da fast fashion. Esta mudança não significa que, daqui em diante, não me volte a deslocar a um shopping – acima de tudo, simboliza uma nova fase no meu caminho na moda, em que passo a consumir de maneira (ainda) mais consciente. Para comemorar, desenhei a minha primeira wishlist, composta maioritariamente por marcas portuguesas. Existem duas exceções: os loafers da Gucci, que estão há demasiado tempo debaixo de olho para não incluir nesta lista, e as peças da marca espanhola MEYME, que me deixaram rendida.

Não quero, de forma alguma, contribuir para o estigma de que comprar slow fashion obriga a preços excêntricos – ou ainda fingir que todas(os) podemos comprar peças de 100€ como se de 10€ se tratasse. A minha primeira premissa em relação à moda será sempre a de consumir menos – melhor, mas menos. Por isso, escolho comprar um vestido de 50€ em vez de 2 de 25€ ou receber pelo aniversário (ainda que, para muitas pessoas, signifique unir familiares numa só prenda) uma peça de joalheria mais cara que simbolize o momento – como um fio de prata que a minha mãe me ofereceu há uns anos, que achei caríssimo na altura, mas acabou por se tornar no meu preferido. Existem ainda épocas de descontos promovidas pelas próprias marcas – desde mercados online ao escoamento de stocks de coleções passadas – que permitem preços mais simpáticos. Há um princípio muito importante em relação à slow fashion: cada etapa do processo deve ser paga de forma justa, sem shortcuts de estilo exploração de mão-de-obra. Significa pagar mais, mas também contribuir para um melhor modelo de consumo de moda. Não há verdades absolutas neste tema (como em tantos outros), mas há, acima de tudo, uma necessidade de gerar consciência para o consumo e conceder visibilidade para os pequenos negócios; sem culpa, com humildade. Em breve, escreverei sobre a famosa relação preço/qualidade, de que tanto se ouve falar.

Confesso que uma das peças nesta wishlist chegou, entretanto, a minha casa. Conseguem adivinhar qual? Foi a minha primeira compra online! Sempre resisti bastante a comprar pelo ecrã, especialmente por receio de não gostar do que cá aparecesse em casa, mas esta primeira experiência correu tão bem que me convenceu a continuar. Estou mesmo feliz por dar este passo rumo a uma moda mais consciente. Gosto muito de partilhar as minhas ideias sobre este tema convosco – desde a minha primeira publicação sobre consumismo, a conceitos de moda consciente explicados em detalhe, a esta primeira wishlist. Percorrer esta road less traveled tem sido um gosto – e a maior prova de que devemos sempre seguir o caminho em que acreditamos. Em relação à wishlist, podem encontrar todos os links para as peças no final da publicação. Quais as vossas preferidas? Partilhem comigo na caixa de comentários!



Gucci Jordan Leather Loafer (595€) · guaja. Notte Sheer Shirt (59,99€) · guaja. The Paris Shirt (59,99€) · guaja. Antonella Shorts (60€) · guaja. Mare Loose Blouse (69,99€) · Vintage Bazaar Vestido Selma (36€ – 72€) · Vintage Bazaar Cardigan De Malha (69€) · Latitid Candice | C3 (70€) · MEYME Vestido Mini Singara (44,90€) · MEYME Pulsera Estrella (5,90€) · Captain Tom Capri 1 (40€) · Captain Tom Cinque Terre 3 (40€) · Cinco Olsen Ring (85€) · Cinco Li Necklace (50€) · Our Sins Plc0330 (50€)

Todas as fotografias pertencem às páginas das marcas.

Inês Nobre
Um blog sobre o que mais me apaixona, como melhor me sei expressar - pela moda e pela escrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *